Pesquise No Blog

domingo, 13 de fevereiro de 2011

>> CRUELDADE // MALDIÇÃO

Crueldade é o ato ou efeito de ser tirano, insensível, ruim. Maldição é consequencia de pragas e/ou blasfemias. Com o tempo, passei a constatar em certas pessoas, um certo modo de agir e pensar, de forma  a subjulgar a minha inteligencia.
web
Sabe aquela história de "jogar o verde, e ver se colhe o maduro"? É bem por aí. Tem gente que pode ter graduação, pós graduação, e mais um monte de diploma, pensa e se acha esperto, mas é tão mesquinho e maldoso, que chega a me causar enjoo.

Fico pensando o que leva um homem de 32 anos, ficar grudado na barra da saia da mãe, querer tomar vitamininha de leitinho de manhã, comparar namoradas e ainda mais nojento ainda, submeter-se a aprovação da mãe e irmãs nos seus romances.

Para a família desse cara, só é bom "gente boa como eles". Gente boa para eles é na minha maneira de ver e analisar fatos, "jogar lixo debaixo do tapete", entendeu?  É bem assim mesmo, em casa tem irmã, mãe, pai, sobrinha, cada um com uma maldade na cabeça (que só serve pra isso), mas, quem vem de fóra precisa ter nome, reputação, porque para eles tudo "pode", para os que chegam, tem que ter marca firme, registro no INMETRO....

Acho o preconceito e a discriminação de pessoas, uma tremenda maldade, porque quem somos nós para julgarmos alguém igual, em circunstancia diferente, muitas vezes nem sabemos porque.
Conheço colegas de trabalho que se julgam seres tão superiores que não passam na mesma calçada se lá estiver um andarilho sentado, pedindo uma esmola, um pedaço de pão.

E tem a moça "chick", sobrinha do Dr não sei quem, se achando no direito de ter preferencia, mordomias, assediando moralmente os colegas de trabalho, porque não cursaram a mesma faculdade que ela, etc...

Quero ver essa toda poderosa, sair nas ruas depois das 22 horas, e dar uma espiada no submundo dos menos favorecidos, daqueles que se enfiaram em drogas, as moças interioranas que vieram para cidade a busca de emprego melhor, e acabaram se prostituindo para sobreviver.

É, não é fácil, esse é o país dos preconceitos sim, tanto que precisa até de Lei para reserva de vagas para negros, deficientes, homosexuais.... Assim é difícil mesmo...

Passei por um semáforo no centro da cidade, o sinal deu fechado, parei. Aproximou-se um cidadão com a cara pintada de palhaço vendendo pirulito. De todos os carros parados, só eu baixei o vidro, olhei para ele, cumprimentei, dei uns trocados, e devolvi os pirulitos para vender outra vez.
Poxa o cara não tinha geito de vagabundo nem drogado, estava vendendo seus docinhos para conseguir comprar uma marmita básica... não custa ajudar.

Se está difícil arrumar um emprego legal quem tem uma boa aparencia, imagine um cidadão como ele, marginalizado pela própria sociedade? Podemos não endireitar o mundo, mas, torná-lo menos cruel aos que precisam de uma ajuda...

Enquanto isso, o primeiro cidadão lá  no começo do texto, continua tomando as vitamininhas da mamãe que só sabe criticar as namoradas dele, e ele estúpido aceita, baixa a cabeça, fala amem mamãe, e o resto (namorada) que se dane.

Esse é o cara cruel que usa mulher ( ainda usa a própria mãe ) com os 32 anos nas costas. Pior que ele tem coragem, a cara de pau de dizer a namorada: não posso levar voce em casa porque a minha família é  muito "tradicional" e não lhe aceita...

Sabe porque não aceita? Porque ela tem dois filhos de um casamento que não deu certo, essas crianças são alunas de natação dele desde bebezinhos, e a família acha que ela não serve para ele.
Esse é o pior dos preconceitos contra a mulher, filhos não são defeitos....

Ricardo.

8 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ricardo
Infelizmente, como ele, existem muitos por aí. Famílias hipócritas, preconceituosas que se acham melhores que os outros, normalmente acabam se dando mal.
Grande abraço

Tais Luso disse...

Eu já conheço esse filme, Ricardo! Você falou tudo: vivemos num país que ainda precisa assegurar cotas para negros estudarem; que tem preconceitos enormes, mas vai tudo pra baixo do tapete. Mulheres solteiras arrumam emprego mais fácil do que as casadas; brancos ganham mais, negros ficam por aí rolando...
Existe sim gente que ainda vive de aparência, do nome herdado que há 'trocentos' anos era alguma coisa. Muitos não se dão conta que hoje não se vive mais de aparência, de nome e de família tradicional... Hoje se vive e se trabalha em busca de aperfeiçoamento, de capacidade, de técnica e os valores estão exatamente na busca da independência financeira e de valores intelectuais.
As frescuras ficam lá pra Rainha... Aqui já é ridículo estes salamaleques. As coisas aos poucos estão mudando. Dá pra ver nas piadas que fazemos quando aparecem algumas coisas meio esquisitas.

Abraços
Tais Luso

O Curinga disse...

Olá Tais,

Agradeço sua visita, valeu muito seu comentário. As pessoas precisam começar a ver as coisas da maneira como voce colocou.

Entendi que assim como eu voce fica indignada com tanta perversidade...

Ricardo.

abrços.

sonia disse...

Olá Ricardo,

Meu querido filho!
Vivemos nesse país das maravilhas, e voce assim como eu sabe bem o que as pessoas tem de preconceito.

Elas são além de tudo perversas, fingem direitinho que tem o maior respeito pelas diferenças.

Mas, elas se enforcam com a própria corda. Diferenças? Sim legal entendem, DESDE QUE, não apareçam dentro da casa delas.

Tem um carinha aí, e voce conhece que não pode levar a namorada em casa porque a familia não gosta dela, porque, ela tem dois filhinhos de um casamento que acabou.

Isso é maldade! e tem ainda aquelas caras fdp que vão ao protíbulo para se divertir, e detesta prostituta. Então porque foi? Ah sei! ´´e um animal.

Muito bem colocado seu texto.

Parabéns,

Sonia (mamãe)

CESAR CRUZ disse...

Ricardo,

Gostei do tema (um dos meus temas em crônicas: as minorias)e do artigo. É isso aí, rapaz! Sou como você, acho que não custa nada estender a mão, nem todos tiveram a mesma sorte!

Mas olha, já vou te avisar: vais se deparar com gente que acha tudo ao contrário disso. Entre no meu blogue quando tiver tempo e procure por um texto chamado:
"Gosto dessa gente". Use o buscador que pus lá. Vc não vai acreditar o que lerá nos comentários. Naquela época eu ainda respondia a comentários... Hoje deixo o cara falar o que quiser... rs.

Os Guerreiros pó de arroz também é boa pedida.

Voltarei aqui!
Parabéns

Abço
Cesar

Phivos Nicolaides disse...

Que maravilha! Saludos

Maria-bonecas d`pano disse...

OLá!! Ricardo,Bom dia..primeiramente quero agradecer sua gentil visita,obrigado e volte sempre,será sempre bem vindo.
Já vivenciei muita discriminação,que me vez ver a dificuldade das pessoas a aceitarem as diferenças,tambem sou revoltada com a falta de amor e compreenção com relação as outras pessoas,o rapaz de 32 anos é mais comum do que se possa imaginar,e infelizmente em algum momento teremos que interagir com Eles..Fique em Paz ,abraços

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Que surpresa boa, Ricardo! Quem dizia que era difícil seguir com um blog? Pois olha, tens aqui um belíssimo texto com um tema muito pertinente. Infelizmente hoje vale mais o ter do que o ser; olha-se as pessoas pela aparência e despreza-se aqueles que teem menos ou nada teem. A simplicidade é o que mais admiro numa pessoa e afasto-me sempre daquelas que se julgam mais que os outros e que só sabem contar vantagem. Este tema de preconceito e falta de tolerância deve ser muito falado, pois não se admite que nos dias de hoje ainda haja pessoas com esse tipo de comportamento em relação aos seus semelhantes,principalmente quando são de raça, cor ou cultura diferentes; aliás, muitas vezes usam esse preconceito e discriminação contra os próprios colegas de trabalho o que acho simplesmente abominável. Por coincidência o post no Começar de novo é sobre a discriminação, mas feita contra os emigrantes. É também terrivel essa. Um beijinho e parabéns pelo tema. Voltarei com toda a certeza
Emília